III International Workshop

Changes and Continuities. Global History, Visual Culture and Itinerancies

September 14-16, 2017
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa

Organization: IEM, CHAM, IHC, IHA

Organization Committee: Francisco José Díaz Marcilla (IEM), Francisco Zamora Rodríguez (CHAM), Jorge Tomás García (IHA) e Yvette Santos (IHC)

Following the I (2014) and II (2015) International Workshops “Changes and continuities”, the Institute of Medieval Studies, the Portuguese Centre for Global History, the Institute of Contemporary History and the Institute of Art History, will organize the III Workshop entitled “Changes and Continuities. Global History, Visual Culture and Itinerancies”, to be held at the FCSH-UNL (September 14-16, 2017).

The MeC3 will focus on three main research lines. All proposals will be distributed in one of them, under an interdisciplinary and trans-historical frame. Thus, the MeC3 accepts proposals relating to the following topics:

1.      Global History - One of the main challenges that History has to face is globalization. National studies have demonstrated their incapability to correctly understand global phenomena, and the way in which they affect societies. This is why new parameters of study are needed. In this thematic line, the methodological and theoretical issues -in addition to the strictly historical one- will be studied n terms of globalization, from its origins, to its development and its present. Proposals may focus on the following subjects (not exclusively): comparative studies, evolution of global phenomena, historical processes in their diachrony, regional studies, changing economies, cultural continuities, methodological questions on globalization, etc.

2.      Visual Culture - The insertion of Visual Culture in the theoretical methodology of Global History responds to the need to vindicate interdisciplinary. Through this theoretical approach, it will be possible to build a place of convergence for the different areas of Humanities; with the ultimate aim of creating a space for dialogue between the concepts of “Global History” and “Visual Culture”. Only then we would be authorized to act through a “cultural visuality”. A better knowledge of the mechanisms of cultural interaction -underlining the process- remains an important problem, because the construction and deconstruction of Visual Global History is still taking place today. Therefore, rather than the study of images it is the study of the social life of images that will make sense. Proposals may focus on the following subjects (not exclusively): traveling images, borders and images, social life of images, Visual Culture in Global History, theoretical sources for the study of the itinerant images; aesthetics of migration.

3.      Itinerancies - One of the fundamental characteristics of Global History is interconnection. All human beings interact with each other, either passively or actively. In this context, one of the most relevant parameters of change emerges: the itinerancy of culture and knowledge. Therefore, itinerant agents take with them a cultural baggage, transporting and transmitting it to other spaces. In this way, the interconnection begins, producing active changes in Global History and Visual Culture. The relevance of the concept is due to the fact that it covers different areas of action: people who act as itinerant agents; materials that are brought in and taken away (traveling objects); origin and reception places of itinerant elements (anthropology of itinerancy); the visual, artistic or written representation of the phenomenon of itinerancy.

This Workshop aims to bring together researchers from different chronological periods, at different stages of their research, and to work on the themes indicated above. To submit a proposal you must complete the form available at http://3wimec.blogspot.pt/search/label/Inscri%C3%A7%C3%A3o until March 31stAbstracts and a short biography should contain a maximum of 300 words each. 

Proposals may be in Portuguese, Spanish, English, French or Italian.

The Workshop includes the payment of a registration fee of € 20 for students and € 30 for researchers who submit a communication.

The organizers of the Workshop foresee the publication of a collective volume in 2018. Full papers will be subjected to a peer-review process and then published.

LabNet: Networking Lab - Platform for creation of European projects


Within the MeC3 activities, this edition will incorporate a parallel event, open to all researchers, designed as a laboratory to share ideas and networks, in order to facilitate the creation of European Institutional Projects (not Individual).


III Workshop Internacional
Mudanças e Continuidades. História Global, Cultura Visual e Itinerâncias

14, 15 e 16 de Setembro de 2017
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa


Organização: IEM, CHAM, IHC, IHA

Comissão Organizadora: Francisco José Díaz Marcilla (IEM), Francisco Zamora Rodríguez (CHAM),
Jorge Tomás García (IHA) e Yvette Santos (IHC)


Call for Papers

No seguimento do I e II Workshops Internacionais “Mudanças e continuidades”, que tiveram lugar em 2014 e 2015, o Instituto de Estudos Medievais, o Centro de História d´Aquém e d´Além-Mar, o Instituto de História Contemporânea e o Instituto de História da Arte organizam o terceiro workshop intitulado “Mudanças e Continuidades. História Global, Cultura Visual e Itinerâncias”, a decorrer na FCSH-UNL, nos dias 14 e 15 de Setembro de 2017. O MeC3 irá focar três aspetos principais, que vão servir como eixos temáticos para a apresentação de comunicações, no enquadramento mais geral da interdisciplinaridade e da trans-historicidade.

Para este Workshop o Call for Papers vai abranger as seguintes três linhas de pesquisa:

1. História global – Um dos principais desafios que a História tem de enfrentar é a globalização. Os estudos de carácter nacional demonstraram a sua limitação para um entendimento correto dos fenómenos globais e da sua repercussão nas sociedades. Neste sentido,torna-se necessário definir novos parâmetros de estudo. Neste eixo temático, irão ser debatidas as questões metodológicas e teóricas aplicáveis aos estudos sobre a globalização, quer nas suas origens, quer no seu desenvolvimento, quer na actualidade. As comunicações poderão visar os seguintes temas (lista não exclusiva): estudos comparativos, evolução de fenómenos globais, processos históricos numa perspectiva diacrónica, estudos de caso no seu contexto global, economias em mudança, continuidades culturais, questões metodológicas da globalização, etc.

2. Cultura visual – O reconhecimento de que a cultura visual é parte integrante do marco teórico da história global compreende, desde logo, a necessidade de uma metodologia interdisciplinar. A problematização deste vasto campo de estudos como lugar de convergência das disciplinas procedentes de diferentes áreas das Humanidades tem como finalidade criar um espaço de diálogo entre os conceitos de “história global” e de “cultura visual”, através do uso de uma visualidade cultural. A melhor maneira de contribuirmos para a transformação do pensamento geral e das estruturas existentes é a adopção da perspectiva multidisciplinar. A investigação sobre os mecanismos de interacção cultural – subjacente a estes processos – continua a ser um problema importante, porque a construção e desconstrução da história global visual continua a ter um lugar na actualidade. Mais do que o estudo das imagens, equacionar-se-á o estudo da vida social das imagens, analisando-se os processos da construção cultural da visualidade no quadro da história global. As propostas abrangerão as seguintes questões: imagens itinerantes, fronteiras e imagens, vida social das imagens, cultura visual na história global, fontes teóricas para o estudo da imagem itinerante; estética da migração.

3. Itinerâncias - Uma das características da história global é a interconexão. Todos os elementos humanos interagem entre eles, quer passiva, quer activamente. Nesse contexto, surge um dos parâmetros de mudança mais relevantes: a itinerância da cultura e do saber. Portanto, os agentes itinerantes levam consigo uma bagagem cultural que transportam e transmitem aos outros espaços, realizando-se a interconexão e a mudança activa. A relevância do conceito deve-se à abrangência de diferentes áreas de estudo: intermediários em geral; pessoas actuando como agentes itinerantes; os materiais e objectos itinerantes; os espaços de origem e acolhimento dos elementos itinerantes (antropologia da itinerância); a representação visual, plástica ou escrita, do fenómeno da itinerância; ideias itinerantes.

Este Workshop pretende reunir investigadores de diferentes períodos cronológicos, em diferentes fases da sua investigação, e que se enquadrem nos eixos acima referidos. Para submeter propostas de comunicação deverá ser preenchido o formulário disponível em http://3wimec.blogspot.pt/search/label/Inscri%C3%A7%C3%A3o até ao dia 31 de MarçoResumos e uma breve biografia devem conter um máximo de 300 palavras cada um.

As comunicações poderão ser em português, espanhol, inglês, francês e italiano. As apresentações (em Power Point) deverão ser obrigatoriamente redigidas numa língua diferente da falada (de preferência em inglês).

O encontro contempla o pagamento de uma inscrição no valor de 20€ para estudantes e de 30€ para os investigadores que apresentem uma comunicação.

Os organizadores prevêem a publicação de um volume colectivo com arbitragem científica em 2018.

LabNet: Laboratório de Redes – Plataforma de criação de projectos europeus

Dentro das actividades do MeC3, neste ano vai ser incorporado um evento paralelo, aberto a todos os investigadores, pensado como um laboratório de partilha de ideias e de redes, tendo em vista a apresentação de projetos europeus de carácter institucional (não individuais).
O projeto IN+FLUENCE visa contribuir para uma melhor compreensão dos elementos que motivam mudanças e continuidades (agindo como motores ou travões) ao longo da história, e para o aprofundamento do conhecimento das sociedades actuais.




No hay comentarios:

Publicar un comentario